PAÇOS DE FERREIRA NA DIVISÃO DE ELITE NACIONAL DO FUTEBOL PORTUGUÊS

Tags

PAÇOS DE FERREIRA NA DIVISÃO DE ELITE NACIONAL DO FUTEBOL PORTUGUÊS

A qualificação para a Divisão de Honra foi o primeiro sinal de que o Paços de Ferreira estava em transformação e a promessa de poder ascender ao grupo dos melhores, durante esta década. O trabalho encetado em finais de oitenta por Ví­tor Oliveira começou a dar frutos e uma "verdadeira" equipa estava formada. No entanto, não deixou de surpreender os adeptos do futebol a forma como - chegou viu e venceu - o primeiro campeonato nacional da Divisão de Honra. O sonho de duas décadas tornou-se realidade em 1990/91, para gáudio dos seus adeptos. E durante três épocas o F. C. Paços de Ferreira prestigiou a "Capital do Móvel" nos quatro cantos do paí­s e do mundo, fazendo honrosos campeonatos. Para além de boas exibições, a equipa pacense ainda se pode vangloriar de ter pontuado com os três "grandes". Venceu o Sporting na Mata Real (1-0 em 1991/92), empatou com o Benfica (1-1 em 1991/92) e empatou no Estádio das Antas (0-0 em 1993/94).

A temporada de 1993/94 marcou também a única descida que o clube conheceu na sua história de até então. A despromoção iniciou uma fase difícil da colectividade, que se viu a braços com o pagamento de milhares de contos de indemnização a outros clubes, devido a uma polémica Lei de Transferências. O clube ressentiu-se no capí­tulo desportivo e andou arredado da luta pela subida, mas nunca deixou de ser dos mais respeitados do escalão secundário. As poucos foi-se levantando das cinzas e, quando a situação financeira ficou controlada, os novos dirigentes voltaram a estabelecer a 1.ª divisão como meta prioritária. Durante esta década o clube foi apetrechado com infra-estruturas que lhe permite ombrear com muitas das equipas do primeiro escalão; a Mata Real foi melhorada, o estádio dotado de iluminação artificial para transmissões televisivas, foi construí­do um relvado secundário e coberta a bancada norte. Passada a crise de meados da década, o F. C. Paços de Ferreira lançou-se na reconquista do lugar merecido no futebol nacional. A subida de divisão foi definida como objectivo primordial para 1999/2000 e uma histórica recuperação encetada por José Mota e seus atletas, realizou o sonho. A festa de Chaves, foi o sinal da grandiosidade do F. C. Paços de Ferreira.