ECONOMIA DE GUINE BISSAU

ECONOMIA DE GUINE BISSAU
Um dos 20 países mais deficientes no mundo, Guiné-Bissau depende principalmente da agricultura e pesca. As colheitas do caju aumentaram notavelmente nos últimos anos, e o país alcançou agora o sexto lugar na produção da fruta. Guiné-Bissau exporta peixes e frutos do mar e, também, quantidades pequenas de amendoins, de sementes de palma e de madeira. O arroz é a colheita e o alimento principal do país. Entretanto, a luta intermitente entre tropas senegalesas do governo e uma junta militar destruiu muito da infra-estrutura do país e causou os danos difundidos à economia em 1998; a guerra civil reduziu 28% do PIB anual, com recuperação parcial em 1999. Antes da guerra, a reforma do comércio e a liberação do preço eram a parte mais bem sucedida do programa de ajuste estrutural do país sob o patrocínio do FMI. O arrocho da política monetária e do desenvolvimento do setor privado tinha, também, começado a revigorar a economia. Por causa dos custos elevados, o desenvolvimento do petróleo, o fosfato, e outros recursos minerais não são uma perspectiva a curto prazo. Entretanto, as reservas do óleo explorado na costa podiam fornecer o rendimento necessário a longo prazo.