PARQUE NACIONAL DE UBAJARA


Superfície
563 hectares

Bioma
Cerrado e Caatinga

Situado no Estado do Ceará, na Serra do Ibiapaba, é profundamente recortado, com exposições de calcários, onde estão as grutas, escarpas abruptas e quedas de água.

Gruta de Ubajara
Acesso
O acesso ao parque é feito pela rodovia BR-222, até a cidade de Tinguá, prosseguindo pela CE-075, que dá acesso às cidades de São Benedito, Inhuçu, com um percurso de 18 km até a entrada do parque.

A maior atração do parque é a Gruta do Ubajara, cujo acesso se dá pelo teleférico. A melhor época de visitação é entre os meses de julho e dezembro, devido ao clima ameno e abundância de água.

Babaçu
Flora
A vegetação nos topos é típica do Cerrado. Nas encostas, encontram-se espécies da Floresta Amazônica e na chapada há espécies características da caatinga. Dentre as várias espécies, destacam-se o pau-d' arco-amarelinho, cedro e babaçu.

Macaco-prego
Fauna
Na avifauna: o urubu-rei, gavião-caboclo, acauã, cara-cará.
Répteis: a iguana, lagarto-teiú, cobra coral; e os mamíferos: sagui-estrela-de-pincéis-brancos, gambá, macaco-prego, raposa, entre outros.

PARQUE NACIONAL DE UBAJARA - CE

OBJETIVOS ESPECÍFICOS DA UNIDADE
Proteger uma pequena amostra da Floresta Subcaducifólia Tropical, representativa de serra úmida em região semi-árida e sua transição até atingir a Caatinga. A unidade protege afloramentos de rochas calcárias bem como grutas encontradas em alguns destes afloramentos.

ASPECTOS CULTURAIS E HISTÓRICOS Antecedentes Legais
Durante visita que fez à Gruta de Ubajara, no final da década de cinquenta, o então diretor do Serviço Florestal do Ministério da Agricultura, Dr. David Azambuja, ficou encantado com a riqueza do patrimônio espeleológico e da biodiversidade existente, bem como com as beleza cênicas do local, prometendo envidar todos os esforços junto aos seus superiores hierárquicos, visando tornar possível a criação de um PARNA, com a finalidade de garantir a integridade e o processo de evolução do conjunto de formações geológicas existentes em Ubajara. Tudo indica que o então diretor levou a bom termo a sua promessa, pois no dia 30 de abril de 1959 era assinado pelo Presidente da República, Juscelino Kubtschek de Oliveira, o decreto de criação do PARNA Ubajara.

Aspectos Culturais e Históricos
Consta que a Gruta de Ubajara é conhecida desde o início do século XVIII, quando os portugueses realizaram expedições na região em busca de minérios, especialmente prata, sem lograrem sucesso. Ubajara é de origem indígena e a tradução que prevalece para o nome é "Senhor da Canoa". Este nome teria surgido da lenda de um cacique que, vindo do litoral, teria habitado a gruta por muitos anos. Existem outras traduções para o nome como "Senhor das Flechas" e "Flecheiro Exímio". Algumas pessoas acreditam que a origem da gruta de Ubajara deve-se às escavações em busca de prata, somado a quase duzentos anos de intempéries. A origem e essência do Parque sempre foram a gruta de Ubajara, motivo de apaixonadas crônicas de personalidades locais.

ASPECTOS FÍSICOS E BIOLÓGICOS Clima
Pode ser dividido em dois tipos um úmido e relativamente frio, de janeiro a junho, e outro seco e quente, que prolonga de julho a dezembro. As temperaturas estão entre 20 e 22° C na Serra da Ibiapaba e em torno de 24 a 26° C na depressão periférica.

Relevo
Composto por rochas variadas, que criam paisagens morfológicas diferentes. A "cuesta" da Ibiapaba constitui uma das mais notáveis feições topográficas do Nordeste brasileiro pela extensão e continuidade da escarpa, que acompanha de perto os limites estaduais.

Vegetação
A caatinga é a vegetação predominante, mas outras três vegetações são encontradas na região: a Floresta Atlântica, a Floresta Subcaducifólia Amazônica e o Cerrado. A caatinga é constituída basicamente de árvores a arbustos espinhentos, que perdem as folhas na estação seca, de plantas suculentas espinhosas e de plantas herbáceas que desenvolvem-se depois das chuvas.

Fauna
A fauna é pobre em diversidade, o que é típico da região. Somente um estudo faunístico foi realizado constituindo-se em uma coleção de morcegos na gruta. O mocó é um roedor que pode ser encontrado na área habitando as rochas e escarpas, sendo muito caçado pela população regional que o utiliza como fonte de alimento. Pode-se observar também na região outros animais como o macaco-prego, o mico-estrela, o tamanduá-mirim, a cotia e mais de 120 espécies de aves.

BENEFÍCIOS DA UNIDADE PARA O ENTORNO E REGIÃO
Proteção da Floresta Sub-caducifólia Tropical, das rochas calcárias, das grutas, das encostas e dos cursos de água, recurso escasso na região. Além de possibilitar serviços recreacionais, educação ambiental e pesquisa científica.

USOS CONFLITANTES QUE AFETAM A UNIDADE E SEU ENTORNO
Expansão urbana em direção à unidade, insularização, desmatamentos e queimadas ilegais, caça, lixo urbano e rural, esgotos e nascentes que drenam para dentro do Parque poluídas e desprotegidas.

O parque que levava o título de menor do Brasil já não ocupa mais este lugar. A ampliação da unidade ocorreu em 2002 e está sendo efetivada agora, dos 563 ha passou a ter 6.288 ha, ocupando agora o posto de terceiro menor.Apesar dos módicos números, o parque de Ubajara esbanja beleza, por cima e por dentro das rochas. A extensa Serra de Ibiapaba, está entre as maiores do ordeste e apresenta escarpas que segue percorrendo grandes extensões da paisagem cearense. Na região do parque, a serra é composta pelos remanescentes da Mata Atlântica e a paisagem demonstra com clareza a ransição entre a mata e o sertão, tornando a vista ainda mais impressionante.

A gruta de Ubajara é conhecida desde o século 18, quando os portugueses fizeram expedições nesta região em busca de minérios que nunca foram encontrados. Ainda bem, pois só assim as belíssimas formações entro da gruta continuam ali. Na verdade, a gruta já sofreu muitos danos e depredações, feitas por habitantes da região, que faziam romarias e deixavam pichações nas paredes e quebravam estalactites e outras formações para levar de recordação. Só com a criação do parque, que ocorreu em 1959, este grande patrimônio ficou resguardado, mas a ação destes vândalos ainda pode ser vista na entrada e em outros locais da gruta.

Fonte: Ibama.