CABO VERDE - GEOGRAFIA E HISTÓRIA DE CABO VERDE



GEOGRAFIA: Área: 4.033 km². Hora local: +1h. Clima: tropical. Capital: Cidade de Praia. Cidades: Cidade de Praia (97.700), Mindelo (63.900), São Felipe (5.900) (2011).

POPULAÇÃO: 495 mil (2011); nacionalidade: cabo-verdiana; composição: crioulos 71%, grupos étnicos autóctones 28%, europeus ibéricos 1%. Idiomas: português (oficial), crioulo. Religião: cristianismo 95,1% (católicos 97,4%, outros 7,7% - dupla filiação 10%), outras 4,1%, sem religião 0,8%.

RELAÇÕES EXTERIORES: Organizações: Banco Mundial, FMI, ONU, UA. Embaixada: Tel. (61) 248-0543, fax (61) 346-4059 – Brasília (DF); e-mail: embcaboverde@rudah.com.br.

GOVERNO: República parlamentarista. Div. administrativa: 9 ilhas e 14 condados. Partidos: Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), Movimento para a Democracia (MPD), Aliança Democrática para a Mudança (ADM). Legislativo: unicameral – Assembléia Nacional, com 72 membros. Constituição: 1992.

Cidade de Praia
Situado na zona equatorial do oceano Atlântico, na África, a 500 quilômetros da costa do Senegal, Cabo Verde é um arquipélago formado por dez ilhas de origem vulcânica. São Tiago, a maior, concentra 50% da população. Seu território é árido e as secas são duradouras, o que prejudica a agricultura. No decorrer do século XX, a falta de comida causou a morte de 200 mil pessoas. Atualmente, o Cabo Verde importa cerca de 85% dos alimentos que consome. O país depende de ajuda econômica externa e do envio de dinheiro dos emigrantes aos familiares. Existem mais cabo-verdianos vivendo no exterior do que no arquipélago. Para estimular o turismo, prevê-se para 2005 a inauguração de um aeroporto internacional em Cidade de Praia, a capital.

HISTÓRIA
Desabitado até o século XV, Cabo Verde é colonizado a partir de 1462 por Portugal, que se vale da localização da ilha para utilizá-la como escala na viagem para a América. No século XX, com o surgimento dos movimentos de libertação nacional na África, o país vincula-se à luta pela independência da Guiné Portuguesa, atual Guiné-Bissau. Em 1956 forma-se o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), marxista, liderado por Amílcar Cabral. A independência é declarada em 5 de julho de 1975 como conseqüência da Revolução dos Cravos, que derrubou a ditadura em Portugal. Cabo Verde e Guiné-Bissau formam Estados separados, sob a direção do mesmo partido, o PAIGC. Aristides Pereira é o primeiro presidente cabo-verdiano. A unificação é interrompida em 1980, pelo golpe de Estado na Guiné-Bissau, que depõe o presidente, Luis Cabral – irmão de Amílcar. A ala cabo-verdiana do PAIGC passa a se chamar Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV). Em 1990 acaba o regime de partido único. Em 1992 é aprovada nova Constituição.

Nas eleições parlamentares de 2001, o PAICV ganha 40 das 72 cadeiras do Parlamento, contra 30 do MPD. José Maria Neves é o primeiro-ministro. Na disputa presidencial, Pedro Pires (PAICV) derrota Carlos Veiga (MPD), em segundo turno, por 17 votos, num total de mais de 151 mil votantes. Em 2004, o Fundo Monetário Internacional (FMI) libera créditos ao país que totalizam 9 milhões de dólares, de um total de 13 milhões concedidos no âmbito do Programa de Redução da Pobreza. A porcentagem da população abaixo da linha de pobreza, porém, vem crescendo. Passou de 14% em 1989 para 20% em 2002.

Gostou? Compartilhe:

0 comentários:

Posts Relacionados

CityGlobe